Deutsch Website, wo Sie Qualität und günstige https://medikamenterezeptfrei2014.com/ Viagra Lieferung weltweit erwerben.

Zufrieden mit dem Medikament, hat mich die positive Meinung viagra kaufen Viagra empfahl mir der Arzt. Nahm eine Tablette etwa eine Stunde vor der Intimität, im Laufe der Woche.

Sbmd.org.br

Contribuição da histopatologia na diarreia com colonoscopia normal: análise crítica e revisão da literaturaContribution of the histopathology in diarrhea with normal colonoscopy: critical analysis and literature review KlauS rubacK bErtgES1, luIz carloS bErtgES2 E JoSé galvão alvES3 definidas como sem alterações dignas de nota em 27 (90%), alterações inespecíficas em 1 (3,3%) e colite inespecífica Introdução: Dentre as várias indicações para a realização em 2 (6,7%). Em 5 pacientes havia registro da presença de de colonoscopias, duas das mais frequentes são a hemato- edema (16,7%), em 4, ausência de edema (13,3%), e em quezia (20,5%) e diarreia de etiologia inexplicável (8,8%). 21 não havia menção sobre edema (70%). Houve 22 relatos Cerca de 40% das colonoscopias, em estudos retrospectivos, de que as criptas estavam preservadas (73,3%) e em 8 são normais e a realização de biópsias para histopatologia não havia menção sobre as mesmas (26,7%). Presença de complementar não tem sido uma rotina nos diversos serviços infiltrado linfocitário ou linfoplasmocitário em 10 (33,3%), ausência deste infiltrado em 3 (10%) e sem menção sobre o mesmo em 17 (56,7%). Presença de eosinófilos em 3 (10%), Objetivos: Avaliar a contribuição da histopatologia para o ausência em 8 (26,7%) e sem relato sobre eosinófilos em esclarecimento diagnóstico em pacientes diarreicos e com 19 (63,3%). Menção sobre conteúdo caliciforme adequado em 2 (6,7%), e nenhum registro sobre este conteúdo em 28 (93,3%). Nos íleos examinados houve infiltrado linfocitário Método: Foi realizado um levantamento bibliográfico no em 2 (6,7%), infiltrado linfocitário com atrofia em 1 (3,3%), PubMed, Scielo, Medline e Biblioteca Cochrane com as infiltrado linfocitário e eosinofílico com atrofia em 2 (6,7%), palavras chave Diarreia e Colonoscopia normal, e levanta- infiltrado neutrofílico em 1 (3,3%), sem alterações dignas dos retrospectivamente os resultados da histopatologia de de nota em 3 (10%), e não biopsiados 2 (6,7%). Dados pacientes com diarreia e com colonoscopias normais. negativos: ausência de granuloma, fibrose, micro-organismos e malignidade em 3 (10%); malignidade em 4 (13,3%); Resultados: Num período de 2 anos, foram realizadas 1.342 inflamação micro-organismos e malignidade em 2 (6,7%); vídeocolonoscopias. Destes, 119 (8,86%) foram por diarreia, abscesso, granuloma, e micro-organismos em 3 (10%); diarreia + dor abdominal ou descargas intestinais, sendo 74 malignidade e especificidade em 3 (10%); e abscesso, (5,51%) submetidos a biópsias endoscópicas, 34 (2,53%) granuloma e parasitas em 1 (3,3%). Não houve relato de com alguma anormalidade macroscópica, e 40 (2,98%) com colonoscopias normais. Destes 40, foram analisados os laudos histopatológicos de 30, e 10 foram excluídos por Conclusões: Para o diagnóstico de colite microscópica, a impossibilidade de recuperação da histopatologia. Dos 30, literatura sugere biópsias do íleo e de vários níveis do cólon. 29 são leucodérmicos (96,7%) e 1 melanodérmico (3,3%), Na análise de 30 casos, não houve uma afirmativa definitiva com idade entre 16 anos e 64 anos, sendo 13 masculinos de colite linfocítica, eosinofílica ou colágena nos laudos (43,3%) e 17 femininos (56,7%). O íleo terminal foi examinado histopatológicos, e não houve um padrão uniforme para a em 11 pacientes (36,7%) e não foi possível a ileoscopia em descrição dos achados microscópicos e para a definição 19 (63,3%). As biópsias foram no retossigmoide em 26 diagnóstica. Sugere-se uma discussão com uniformização de pacientes (86,7%), no retossigmoide, cólon esquerdo e cólon critérios histopatológicos para diagnóstico à semelhança do direito no mesmo exame em 1 (3,3%) e somente no íleo que foi feito com o Sistema Sidnei para a classificação das terminal em 3 (10%). Das 30 histopatologias revistas foram 1. Professor da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (MG) – SUPREMA (MD) 2. Professor da Universidade Federal de Juiz de Fora e da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (MG) – SUPREMA (PhD) 3. Professor da Universidade Gama Filho - RJ (PhD): Endereço para correspondência: Luis Carlos Bertges, Rua Benjamin Colucci, 50 - 3º andar - Centro - Juiz de Fora - MG - CEP. 36010-600. / e-mail: labertges@oi.com.br Recebido em: 07/06/2010. Aprovado para publicação: 09/09/2010 GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 ogia na diarreia com colonoscopia normal: Conclusions: For the diagnose conclusion in microscopic colitis the literature sugest biopsies of the ileum and in many Introduction: Among many indications for colonoscopy parts of the colon. Analyzing our 30 cases there were not two very frequent are hematoquezia (20,5%) and diarrhea a definitive conclusion of lymphocyte, eosinophil or collagen of obscure etiology (8,8%). Forty percent of colonoscopies in colitis in the histopathology reports, and there were not retrospective studies are normal and biopsies have not being a uniform pattern to describe the findings to conclude the diagnosis. We suggest a discussion in order to uniform de histopathology criteria to reach the diagnose, as the Sydnei Objective: To evaluate the contribution of histopathology in the System used to classify the gastritis.
diagnostic of patients with diarrhea and normal colonoscopies. Method: It was performed a bibliographic study in PubMed, Scielo, Medline and Cochrane Library using the key words Diarrhea and Normal Colonoscopy, furthermore were studied A publicação sobre fibras ópticas, realizada por H. H. Hopkins, retrospectively the results of histopathology of patients with em 1954, estimulou vários investigadores sendo que, em 1957, Basil Hirschowitz, da universidade de Michigan, construiu com sucesso um gastroscópio flexível, usando estas fibras. Results: In two years, 1.342 colonoscopies were performed. A partir daí, os equipamentos evoluíram consideravelmente From all 119 (8,86%) the indication was diarrhea, diarrhea plus e os exames endoscópicos se tornaram uma rotina na avaliação abdominal pain or diarrhea flushes, 74 (5,51%) undergone e no tratamento das doenças digestivas (Hirschowitz 2000, to endoscopy biopsies, 34 (2,53%) having any macroscopic abnormalit, and 40 (2,98%) with normal colonoscopies. In thirty out of this 40 cases was possible to analyse the As primeiras colonoscopias foram realizadas sob controle histopatological report, and 10 were discharged because of radiológico, o que posteriormente foi substituído por métodos impossibility of recovering the report. Twenty nine (96,7%) não fluoroscópicos de identificação da topografia (Waye, leucodermic and 1 (3,3) melanodermic, ranging from 16 to 2001). Atualmente, se destaca como um dos métodos 64 years old, 13 (43,3%) male and 17 (56,7%) female. The mais completos de investigação das doenças colorretais, terminal ileum was examined in 11 patients (36,7%) and com vantagens sobre outros métodos por proporcionar in 19 (63,3%) it was not possible. The biopsies were taken a observação da mucosa colônica e, muitas vezes, do íleo in the recto and sigmoid in 26 (86,7%) patients, in recto terminal, diretamente e num só tempo (Nahas 2005). sigmoid left colon and right colon in the same examination in 1 (3,3%), and only in terminal ileum in 3 (10%). From the Assim como a endoscopia digestiva alta, ela foi inicialmente 30 histopathology reports information were collected about empregada com a finalidade diagnóstica, e ultimamente vem no important alteration in 27 (90%), unspecific alterations sendo usada com frequência crescente para o tratamento de in 1 (3,3%) and unspecific colitis in 2 (6,7%). In 5 (16,7%) várias afecções colorretais (Nahas 2005). there were report of edema, in 4 (13,3%) absence of edema and in 21 (70%) no report about edema. In 22 (73,3%) there As indicações são múltiplas, desde a elucidação de san- were report of preserved crypts and in 8 (26,7%) no report gramentos até o rastreamento de câncer colorretal. Dentre about crypts. Presence of lymphocyte or lymphoplasmocitary infiltrate in 10 (33,3%) absence of these infiltrate in 3 (10%) os diagnósticos, os mais frequentemente encontrados estão and no report about infiltrates in 17 (56,7%). Presence of a doença diverticular não complicada, os pólipos e câncer eosinophils in 3 (10%), absence in 8 (26,7%) and no report of eosinophils in 19 (63,3%). Report of adequate caliciform lining in 2 (6,7%) and no report of this in 28 (93,3%). In the Cerca de 40% das colonoscopias, em estudos retrospectivos, terminal ileum examined there were lymphocyte infiltrate são normais, e a realização de biópsias para histopatologia in 2 (6,7%), lymphocyte infiltrate with atrophy in 1 (3,3%), complementar não tem sido uma rotina nos diversos serviços lymphocity and eosinophil infiltrate with atrophy in 2 (6,7%), de endoscopia (Silva 2004, Sidique 2005, Prior 1987, Robert neutrophil infiltrate in 1 (3,3%), no important finding in 3 (10%), and 2 (6,7%) not submitted to biopsies. There were negative data: absence of granuloma fibrosis microorganisms Com objetivo de avaliar a contribuição da histopatologia para and malignity in 3 (10%), malignity in 4 (13,3%), inflammation o esclarecimento diagnóstico, realizamos estudo bibliográfico microorganisms and malignity in 2 (6,7%), abscess granu- e um levantamento retrospectivo da histopatologia em loma granuloma microorganisms in 3 (10%), malignity and pacientes diarreicos e com colonoscopias normais, realizadas specificity in 3 (10%), abscess granuloma and parasites in 1 na Clínica de Gastroenterologia e Endoscopia Digestiva Ltda. (3,3%). There were no report of negative data in 14 cases (46,7%). GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 K. r. bErtgES, l. c. bErtgES E J. g. alvES Foi realizado um levantamento bibliográfico no PubMed, Scielo, Medline e Biblioteca Cochrane com as palavras chave Num período de 2 anos, foram realizadas 1.342 videoco- Diarreia e Colonoscopia normal para caracterização do esta- lonoscopias, principalmente com a finalidade diagnóstica. do da arte e delimitação do problema.
Deste total, 119 (8,86%) foram indicadas devido à diarreia, diarreia + dor abdominal ou ocorrência de descargas intes-tinais, sendo que 74 (5,51%) pacientes foram submetidos Foram levantados retrospectivamente os resultados da à biópsia endoscópica, e destes, 34 (2,53%) apresentavam histopatologia de todos os pacientes submetidos à colo- alguma anormalidade macroscópica, sendo que 40 (2,98%) noscopia com biópsias na Clínica de Gastroenterologia tiveram o diagnóstico de colonoscopia normal. Deste total e Endoscopia Digestiva de Juiz de Fora Ltda. – CLIGED, de 40 pacientes foram analisados os laudos histopatológicos num período de 2 anos, com indicação clínica de diarreia, de 30, e 10 foram excluídos por impossibilidade de recupe- dor abdominal + diarreia ou descargas intestinais, e com diagnóstico endoscópico de colonoscopia normal.
Foram 29 pacientes leucodérmicos (96,7%) e 1 melanodér- Foram incluídos todos os pacientes encaminhados para mico (3,3%), com idade variável entre 16 anos e 64 anos, 13 colonoscopia, diagnóstica ou terapêutica, os de atendimento masculinos (43,3%) e 17 femininos (56,7%), com média de ambulatorial e os hospitalizados, quase todos provenientes 41,6667 e desvio padrão de 14,4898. As indicações para a realização de colonoscopia nos 30 pacientes estudados foi por diarreia em 29 (96,7%), diarreia + dor abdominal em O preparo foi realizado praticamente em todos, com uma 1 (3,3%). O íleo terminal foi examinado em 11 pacientes dieta com poucos resíduos nos dois dias anteriores, e com (36,7%) e não foi possível a ileoscopia em 19 (63,3%). Os a administração de Bisacodil® na antevéspera e solução de espécimes para exame histopatológico foram coletados no Manitol® a 10% na véspera do procedimento.
retossigmoide em 26 pacientes (86,7%), no retossigmóide, cólon esquerdo e cólon direito no mesmo exame em 1 (3,3%) Todos foram sedados e monitorados com oxímetro de pulso, e somente no íleo terminal em 3 pacientes (10%).
sob supervisão de um anestesiologista, principalmente com administração de Fentanyl®, Midazolan® e Propofol®, Dos 30 laudos histopatológicos revistos, os examinadores e examinados por três endoscopistas diferentes. Os definiram como sem alterações dignas de nota em 27 (90%), equipamentos usados foram os colonoscópios longos, com alterações inespecíficas em 1 (3,3%) e colite inespecífica em tubo de inserção com 1,70 m de comprimento, das marcas Tabela 1 – Conclusões histopatológicas Foram registradas as seguintes variáveis: idade, sexo, cor, indicações para a realização do procedimento, se foi ou não examinado o íleo terminal, resultados da avaliação macros- cópica e resultados da histopatologia. Foram excluídos os pacientes com algum dos sintomas acima que apresentavam alguma alteração macroscópica no exame do cólon, e os pacientes com colonoscopias normais mas que não tinham sido submetidos às biópsias endoscópicas. A histopatologia foi realizada por diferentes profissionais, em diferentes Serviços de Patologia, em função da preferência Dentre as observações histopatológicas: em 5 pacientes do paciente, da indicação do endoscopista ou da indicação havia registro da presença de edema (16,7%), em 4 ausência da seguradora de saúde. Nos laudos histopatológicos de edema (13,3%) e em 21 não havia menção sobre edema recuperados foram observados: o relato de edema, da integridade das criptas, a presença de linfócitos eosinófilos Tabela 2 – Relato sobre a presença de edema ou neutrófilos, a adequação das células caliciformes, dados negativos sobre a presença de granulomas, fibrose, micro-organismos, inflamação, malignidade, abscessos e parasitas, bem como a definição diagnóstica por parte do patologista. Para as referências bibliográficas, utilizamos o Software GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 ogia na diarreia com colonoscopia normal: Com relação à preservação das criptas: houve 22 relatos de neutrofílico em 1 (3,3%), sem alterações dignas de nota em que estavam preservadas (73,3%) e em 8 não havia menção 3 pacientes (10%), e não biopsiados 2 (6,7%) (Tabela 7).
sobre as criptas (26,7%) (Tabela 3).
Tabela 3 – Relatos sobre a preservação das criptas Tabela 7 – Histopatologia do íleo terminal Foi relatada a presença de infiltrado linfocitário ou linfoplas- mocitário em 10 casos (33,3%), de ausência deste infiltrado em 3 (10%) e sem menção sobre o mesmo em 17 (56,7%) (Tabela 4).
Tabela 4 – Relato de infiltrado linfoplasmocitário Alguns relatórios listaram dados negativos como: ausência de granuloma, fibrose, micro-organismos e malignidade em 3 (10%); malignidade em 4 (13,3%); inflamação micro-organismos e malignidade em 2 (6,7%); abscesso, granuloma e micro-organismos em 3 (10%); malignidade e especificidade Houve relato de presença de eosinófilos em 3 (10%), ausência em 3 (10%); e abscesso, granuloma e parasitas em 1 (3,3%). em 8 (26,7%) e sem relato sobre eosinófilos em 19 (63,3%) Não houve relato de dados negativos em 14 casos (46,7%) Tabela 5 – Relato de infiltrado eosinofílico Tabela 8 – Relatos de dados negativos (Ausência de:) Menção sobre conteúdo caliciforme adequado em 2 casos (6,7%), e nenhum registro sobre este conteúdo em 28 Tabela 6 – Relato sobre adequação do conteúdo Nos casos em que houve exame do íleo terminal, a histopatologia relatou: infiltrado linfocitário em 2 (6,7%), infiltrado linfocitário com atrofia em 1 (3,3%), infiltrado linfocitário e eosinofílico com atrofia em 2 (6,7%), infiltrado GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 K. r. bErtgES, l. c. bErtgES E J. g. alvES dados negativos: ausência de granuloma, fibrose, micro-organismos ou malignidade em 3/30 (10%), de malignidade em 4/30 (13,3%), de inflamação, micro-organismos ou Desde que Basil Hirschowitz apresentou à comunidade cien- malignidade em 2/30 (6,7%), de abscessos, granulomas tífica o primeiro fibroscópio, a endoscopia digestiva ocupou, ou micro-organismos em 3/30 (10%), de malignidade ou rápida e progressivamente, cada vez mais espaço no aten- especificidade em 3/30 (10%) e de abscesso, granuloma ou dimento aos pacientes gastroenterológicos (Hirschowitz 2000). usada inicialmente para o exame do trato digestivo superior, rapidamente foi extendida para o cólon e, poste- Alguns relatos de caso de pacientes com diarreia crônica riormente, para as vias biliares (Hirschowitz 2000). ultima- e colonoscopias normais, envolvendo processo inflamatório mente, com o avanço dos equipamentos e dos acessórios, microscópico da mucosa, estão sendo apresentados. Wilcox tem sido utilizada largamente, tanto com propósitos diagnós- & Mattia (2002) publicaram um caso de colite colágena em ticos, como para o tratamento de várias doenças do cólon um paciente com diarreia crônica de causa desconhecida associada ao uso de lansoprazol. As alterações histopa- tológicas desapareceram com a interrupção da droga e Dentre as várias indicações para a realização de colonoscopias, recidivaram com a reintrodução da mesma. duas das mais frequentes são a hematoquezia (20,5%) e diarreia de etiologia inexplicável (8,8%) (Sidique 2005). Em Yusuf at al. (1999) descreveram o caso de um paciente com nosso material 119/1342 (8,86%) foram examinados com a 50 anos de idade com história de diarreia aquosa importante com duração de 33 anos, causadora de hipocalemia, causada por uma enterocolite microscópica ativa crônica, Alguns autores, alegando aumento do custo/benefício, têm com padrões semelhantes ao da colite linfocítica, com interrogado sobre a necessidade da realização rotineira de criptite aguda e envolvimento microscópico do íleo terminal. biópsias em portadores de diarreia (Prior 1987, Robert 2006, Houve várias internações hospitalares durante este período, Marshall 1995), enquanto outros a tem recomendado (da evoluindo para insuficiência renal crônica, que não respondia Silva 2006). Dos 149 pacientes da nossa casuística com à reposição oral de potássio, e que acabou sendo tratada por indicação por diarreia, 74 foram submetidos à biópsias, 34 com algum achado macroscópico e 40 com conclusão Stiefelhagem (2000) chama a atenção para a possibilidade de espru em pacientes com diarreia crônica e colonoscopia Da Silva at al. (2006), estudando histologicamente a mucosa normal. A autoimunidade é uma condição comum a várias colônica de pacientes com diarreia e colonoscopia normal, doenças e é também encontrada na colite linfocítica. Cindoruk encontraram: 110/162 (67,9%) com histologia normal, colite at al. (2002) fizeram colonoscopias de 50 pacientes porta- microscópica não específica ou pequenos granulomas dores de tireoidite de Hashimoto, 5 com diarreia. Dos isolados; 17/162 (10,5%) com achados histopatológicos com cinquenta, 20 (40%) apresentavam alterações histológicas possíveis significados clínicos, sugestivos (borderline) de colite intestinais compatíveis com colite linfocítica. Concluíram que colágena, colite linfocítica e melanose coli; e 35/119 (21,6%) há alta incidência de colite linfocítica em pacientes com tireoidite com achados histopatológicos definidos: colite colágena, de Hashimoto, embora a maioria seja assintomática. colite linfocítica, colite microscópica mínima, colite eosinofílica, Paralela à discussão sobre a necessidade ou não de biópsias enterocolite eosinofílica pericríptica, espiroquetose intestinal, de rotina em portadores de diarreia com colonoscopia normal, esquistossomose e Doença de Crohn. Concluíram que está a discussão sobre a necessidade ou não de se examinar 32,1% dos pacientes têm alguma alteração histopatológica e biopsiar o íleo terminal. Gonzáles at al. (2002) estudaram que poderiam contribuir para o esclarecimento diagnóstico retrospectivamente 683 ileocolonoscopias, encontrando 499 e recomendam a coleta de material em todos os segmentos (73,06%) normais, 123 (18%) de hiperplasia linfoide e 25 (3,66%) com Doença de Crohn, demonstrando grande porcentual de coincidência entre o diagnóstico endoscópico Na avaliação retrospectiva dos laudos histopatológicos e o histopatológico (96,87% nas normais, 77,77% nas dos nossos pacientes, encontramos 26/30 (86,7%) sem hiperplasias linfoides e 77,27% na Doença de Crohn). alterações dignas de nota, 1/30 (3,3%) com alterações ditas inespecíficas, e em 2/30 (6,7%) com afirmativa diagnóstica Misra at al. (2006) examinaram o íleo terminal de 36 pacien- de colite inespecífica. Não houve um diagnóstico definitivo tes com hematoquezia e colonoscopia normal. O exame de colite linfocítica, eosinofílica ou colágena, apesar de haver foi normal em 31 e foram encontradas úlceras ileias em descrição de edema em 5/30 (16,7%), infiltrado linfocítico dois e nodularidade com ulceração, lesão de Dieulafoy e em 10/30 (33,3%), e infiltrado eosinofílico em 3/30 (10%). angiodisplasia em outros três. Outros que questionaram O que se observou de forma categórica foi a descrição de a necessidade de se avançar na investigação foram Soon GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 ogia na diarreia com colonoscopia normal: at al. (2004). Estudaram retrospectivamente 96 pacientes Na colite colágena, há espessamento da membrana basal com ileocolonoscopias normais e que se submeteram em com aumento do tecido colágeno neste nível (Quadro 1), e sequência à seriografia do delgado. Concluem que o trânsito na colite linfocítica há aumento do infiltrado inflamatório da baritado raramente é necessário, só devendo ser realizado se lâmina própria (Quadro 2) com predomínio dos linfócitos CD8, a suspeita de doença no delgado é muito alta. Recomendam citotóxicos (Coronel 2005). Ambas podem causar diarreia ainda que, nos pacientes com suspeita de Doença de Crohn, crônica ou intermitente, e só podem ser diagnosticadas por é importante biopsiar o íleo, mesmo que macroscopicamente histopatologia. Na suspeita de colite microscópica deve-se biopsiar todo o cólon para diagnóstico histopatológico.
No nosso estudo verificamos que o íleo foi examinado em Quadro 1 – Critérios histológicos de diagnóstico 11/30 (36,7%) das vezes, todos com o diagnóstico de ileoscopia normal. Quando verificamos a histopatologia, a) Capa colágena subepitelial com 10µm, distribuída de observamos ausência de alterações em 3/30 (10%), infiltrado linfocítico em 2/30 (6,7%), infiltrado linfocítico + atrofia em b) Lesão epitelial como achatamento e separação 1/30 (3,3%), infiltrado linfocítico + infiltrado eosinofólico + atrofia em 2/30 (6,7%), e infiltrado neutrofílico em 1/30 c) Inflamação da lâmina própria, principalmente com (3,3%). Da mesma forma que para o cólon, nenhum laudo emitiu um diagnóstico definitivo, limitando-se a descrever os d) O número de linfócitos intraepiteliais pode estar Outra variável que deve ser observada é a possível alteração histológica que pode ser produzida pelo preparo para a Quadro 2 – Critérios histológicos de diagnóstico realização da colonoscopia. Pockros & Foroozan (1985) demonstraram que o preparo padrão (citrato de Magnésio a) Presença de 20 ou mais linfócitos para cada 100 células e derivado de Senna) para colono achata a superfície epitelial das células, causa depleção de células caliciformes e b) Lesão epitelial como achatamento e depleção de aumenta o edema na lâmina própria, enquanto que lavagens com Golytely preservam a histologia normal. Nos pacientes c) Inflamação da lâmina própria, principalmente com submetidos à colonoscopia na Cliged – Juiz de Fora, o preparo, em sua maioria foi realizado com a utilização de Bisacodil® na antevéspera e solução de Manitol® a 10% na d) Capa colágena subepitelial com < de 10µm Quando analisamos a histopatologia dos nossos 30 casos, O local onde coletar o material para exame também é motivo observamos que não há um padrão uniforme de relato tanto de discussão. A histopatologia num reto normal pode não para os dados positivos, como a presença de infiltrado de corresponder à histopatologia de um cólon direito por células inflamatórias ou lesões das criptas, como para os exemplo. Kayaselcuk at al. (2004) estudaram a membrana dados negativos, como a presença de granulomas, fibrose, basal subepitelial em pacientes com colonoscopia normal. micro-organismos, abscessos, malignidade, especificidade, Encontraram mais infiltrados no reto e no ceco e nenhum com característica de colite colágena. A maior espessura da membrana foi encontrada na mucosa retal sem correlação Dá-nos a impressão que os histopatologistas não se com idade ou sexo, mas correlacionada positivamente com a detêm nas medições e nas contagens necessárias para a caracterização, principalmente da colite colágena e da colite linfocítica, condições que, pelo que foi discutido, podem Da Silva at al. (2006) recomendam a coleta de material em todos os segmentos do cólon. Em nossos casos, o material justificar a presença de diarreia com exame colonoscópico para histopatologia foi coletado no reto em 26/30 (86,7%) normal. Concluímos que a literatura sugere biópsias do íleo dos casos e no cólon direito, cólon esquerdo, sigmoide e reto e de vários níveis do cólon e que, em nosso material, não em 1/30 (3,3%). Em 3/30 (10%), a biópsia só foi realizada houve por parte dos histopatologistas um padrão uniforme para a descrição dos achados microscópicos e para a definição diagnóstica de colite microscópica. O que se pode dizer é que o estudo e o tratamento de pacientes com diarreia crônica não é simples, e frequentemente requer O que sugerimos é que, a exemplo do que foi feito para as o seguimento de várias etapas. Diversas doenças estão gastrites com a classificação de Sydney (Mainguet at al. incluídas na lista do diagnóstico diferencial, e, dentre elas, a 1993), possa ser discutida, entre clínicos, endoscopistas colite microscópica (colite colágena + colite linfocítica) nos e patologistas, uma uniformização histopatológica para o doentes com aspecto macroscópico normal na colonoscopia. diagnóstico das colites microscópicas.
GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85 K. r. bErtgES, l. c. bErtgES E J. g. alvES 11. Nahas CS, Marques CFS, Araújo SA, Aisaka AA, Nahas CSR, Pinto RA, Kiss DR. Colonoscopia como método diagnóstico e terapêutico 1. Cindoruk M, Tuncer C, Dursun A, Yetkin I, Karakan T, Cakir N, Soykan das moléstias do intestino grosso: análise de 2.567 exames. Arq I. Increased colonic intraepithelial lymphocytes in patients with Hashimoto’s thyroiditis. J Clin Gastroenterol 2002; 34:237-9.
12. Pockros PJ, Foroozan P. Golytely lavage versus a standard colonos- 2. Coronel F, SáenzF R, SáenzF M, Shultz M, Navarrete C. Colitis copy preparation. Effect on normal colonic mucosal histology. microscópica: valor predictivo de la sospecha clínico-endoscópica en nuestro medio. Gastr Latinoam 2005; 16:186-191.
13. Prior A, Lessells AM, Whorwell PJ. Is biopsy necessary if colonoscopy 3. da Silva JG, De Brito T, Cintra Damiao AO, Laudanna AA, Sipahi is normal? Dig Dis Sci 1987; 32:673-6.
AM. Histologic study of colonic mucosa in patients with chronic 14. Robert ME. To biopsy or not to biopsy: that is no longer the question! diarrhea and normal colonoscopic findings. J Clin Gastroenterol 15. Siddique I, Mohan K, Hasan F, Memon A, Patty I, Al-Nakib B. 4. González AH, Garcia OMH, Jimenez G. Estudio endoscópico del Appropriateness of indication and diagnostic yield of colonoscopy: íleon terminal. Rev Cubana Med 2002; 41:141-145.
first report based on the 2000 guidelines of the American Society for 5. Hirschowitz BI. Endoscopy--40 years since fiber optics. Any light at Gastrointestinal Endoscopy. World J Gastroenterol 2005; 11:7007-13.
the end of the tunnel? Dig Surg 2000; 17:115-7.
16. Silva EJ, Câmara MAR, Gaidão EC. Colonoscopia: análise crítica de 6. Kayaselcuk F, Serin E, Gumurdulu Y, Ozer B, Tuncer I, Boyacioglu S. sua indicação. Rev Bras Coloproct 2003; 23:77-81.
Subepithelial basement membrane thickness in patients with normal 17. Soon SY, Ansari A, Sanderson JD. Small-bowel barium follow-through colonic mucosal appearance in colonoscopy: results from southern is rarely required in patients with a normal ileoscopy and terminal Turkey. World J Gastroenterol 2004; 10:1056-8.
ileal biopsy and a normal or unremarkable colonoscopy. Scand J 7. Kieser CW, Jackson RW. How cold light was introduced to arthroscopy. Arthroscopy 2006; 22:345-50.
18. Stiefelhagen P. [Diagnostic quiz. Chronic diarrhea with normal 8. Mainguet P, Jouret A, Haot J. [The “Sidney System”, a new colonoscopy findings. Sprue]. MMW Fortschr Med 2000; 142:57-8.
classification of gastritis]. Gastroenterol Clin Biol 1993; 17:T13-7.
19. Waye JD. The evolution of gastrointestinal endoscopy at the Mount 9. Marshall JB, Singh R, Diaz-Arias AA. Chronic, unexplained diarrhea: Sinai Hospital. Mt Sinai J Med 2001; 68:106-9.
are biopsies necessary if colonoscopy is normal? Am J Gastroenterol 20. Wilcox GM, Mattia A. Collagenous colitis associated with lansoprazole. J Clin Gastroenterol 2002; 34:164-6.
10. Misra SP, Dwivedi M, Misra V. Ileoscopy in 39 hematochezia 21. Yusuf TE, Soemijarsih M, Arpaia A, Goldberg SL, Sottile VM. Chronic patients with normal colonoscopy. World J Gastroenterol 2006; microscopic enterocolitis with severe hypokalemia responding to subtotal colectomy. J Clin Gastroenterol 1999; 29:284-8.
GED gastroenterol. endosc.dig. 2010: 29(3):79-85

Source: http://www.sbmd.org.br/Artigos_GED_2010/Edicao_3/EDICAO_03_julho_set_2010_1.pdf

Microsoft word - convocatoria-2014-fy02.doc

ALQUILER PARA EVENTOS DE GOBIERNO I. Consideraciones Generales El Teatro Nacional de Costa Rica (TNCR) cobra vida en la interacción del binomio compuesto por la conservación del patrimonio material y la promoción de las artes escénicas del más alto nivel artístico. Con la intención de mejorar la estrategia de diseño de programación de sus distintos espacios, el Consejo Directivo

clicusa.cn

Edition 1.1 – will 2010 Reprint Added text: (top paragraph) “located in the face include” Replaced word: “finish” with “finished” in fourth paragraph Replace words: “two-dimensional” with “three-dimensional ” in Set the design. Captioned word: incorrect spelling of “disulfide” and “towel-blotted” is hyphenated Hyphenate “towel-blotted”

Copyright © 2010-2014 Health Drug Pdf